Resenha- O meu pé de Laranja Lima-José Mauro de Vasconcelos

Olá docinhos! Venho trazendo para vocês resenha do Livro  O meu pé de Laranja Lima do autor  José Mauro Vasconcelos. Espero que gostem.



NOTAS
Capa: 10
Conteúdo: 10
Diagramação: 10
Nota geral: 10 (Muito bom) 

E foi assim que ganhei minha roupa de poeta
Por Paloma Viricio


“-Fica feio se eu chorar? –Nunca é feio chorar, bobo. Por quê? –Não sei,ainda não me acostumei. Parece que aqui dentro a minha gaiola ficou vazia demais...”p.69. Essa é a história de um menino muito especial chamado Zezé. Ele aprendeu a ler sozinho, pensava que o pensamento era um passarinho ditando versos dentro dele mesmo. Quando crescesse queria ser poeta, para escrever as palavras mais belas, ter uma roupa formosa com gravata borboleta, porque era muito elegante e poeta que se preze tinha uma dessas. Através de uma pequenina árvore, encontrou Minguinho, companheiro, adorável amigo, seu Pé de Laranja Lima. Mas não é somente com a história do “Ruço do mau pêlo”, como também era chamado, que nos deparamos. Embarcamos no universo de Jandira, Glória, Totoca, Tio Edmundo, Dindinha, Luís, Manuel Valadares, do morcego Luciano, tantos outros que surgem encantando e costurando esse enredo maravilhoso construído por José Mauro de Vasconcelos. “- Mas que lindo pezinho de Laranja Lima! Veja que não tem nem um espinho. Ele tem tanta personalidade que a gente de longe já sabe que é Laranja Lima. Se eu fosse do seu tamanho, não queria outra coisa” p.32.


Esse livro é muito bom, tornou-se um dos meus favoritos. Demorei para ler ele, mas sempre ouvi diversas pessoas falando bem e a curiosidade só aumentava. Foi quando passeando na rua com minha mãe, vi uma versão do livro sendo vendida por apenas R$2,00, acreditam? Não resisti, tive que comprar e não me arrependi em nenhum momento por isso. Logo que cheguei em casa tive que ler...gente a escrita do autor é tão gostosa que não conseguia parar de devorar a história. As travessuras, descobertas e lições que Zezé aprende nos faz voltar aos tempos de criança. Fui uma criança muito sapeca, o menininho do livro também é e relembrei poucas e boas, viu!? Não tem como não gostar das personagens, porque elas são tão humanas que dá gosto de virar as páginas. O livro é fininho, tem 190 páginas e você lerá de uma tacada só. “-Eu não presto para nada. Sou muito ruim. Por isso é o diabo que nasce pra mim o dia do Natal e eu não ganho nada. Sou uma peste. Uma pestinha. Um cachorro. Um traste ordinário. Uma das minhas irmãs me disse que coisa ruim como eu não devia ter nascido...”p.122.
O bom da obra é que conseguimos relembrar como é deliciosa a inocência de uma criança, mas também como é dolorosa a dor da descoberta da senhora vida...que é dura e muito má. Sabe aquela indignação que dá em criança quando adulto pensa que ela não sabe de nada? (Risos) Vi muito disso no Zezé, ele é muito sapeca e solta até palavrões quando fica enfezado. O livro faz o leitor absorver uma gama de sentimentos dos mais variados: Dor, amor, alegrias...tristezas! È muito bom,agradeço por terem me indicado e também indico para quem for. O mais bonito da história é a relação de amizade, provando que criança realmente não liga para bens materiais e sim carinho, sentimentos sinceros. Além disso, o livro mostra as dificuldades que o povo brasileiro sempre passou, um povo sofrido, mas que não foge da luta. Mesmo sendo um cenário muitas vezes triste, doído, é maravilhoso ver o mundo através do olhar criativo de uma criança. “Pensei na Fábrica um momento. Não gostava dela. O seu apito triste de manhã torna-se mais feio ás cinco horas. A Fábrica era um dragão que todo dia comia gente e de noite vomitava o pessoal muito cansado” p.63/64.

Sobre o autor

Escritor brasileiro nascido em Bangu, bairro da cidade do Rio de Janeiro, um dos escritores brasileiros mais lidos no exterior, sendo muito respeitado em todo o mundo.De volta ao Brasil trabalhou junto aos irmãos Villas-Boas, principalmente explorando a inóspita região do Araguaia. Desta aventura resultou seu primeiro livro de estréia, Banana Brava (1942) sobre o mundo dos homens dos garimpos. Depois veio Barro Blanco (1945) sobre as salinas de Macau, no Rio Grande do Norte, seu primeiro grande sucesso de crítica. Depois vieram Longe da Terra (1949), Vazante (1951), Arara Vermelha (1953) e Arraia de Fogo (1955). Porém só com Rosinha, Minha Canoa (1962), atingiu o primeiro sucesso literário e ganhou fama como escritor, sendo este livro utilizado em curso de Português na Sorbonne, em Paris. Doidão (1963), sobre sua adolescência em Natal, O Garanhão das Praias (1964), Coração de Vidro (1964) e As Confissões de Frei Abóbora (1966), antecederam seu maior sucesso popular, O Meu Pé de Laranja Lima (1968), que foi adaptado pela antiga Tupi e pela Globo como novelas televisivas e também levado ao cinema. Fonte: NetSaber.
Licença Creative Commons
O trabalho E foi assim que ganhei minha roupa de poeta de Paloma Viricio foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Brasil.

Obs.: Todos os textos produzidos neste blog são da minha autoria e estão registrados. Se utilizá-los, por favor lembre-se dos créditos.  

27 comentários:

  1. Desde que lançou o filme, fiquei interessada em ler o livro por mostrar exatamente a inocência de uma criança (o que as vezes falta em alguns livros né). Adorei a resenha!

    xx,
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar do livro, mas nunca tive oportunidade de ler. Adorei sua resenha, me deixou muito curiosa para conhecer essa obra. xD
    beijos
    apenas-um-vicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa, sou completamente apaixonada por esse livro! Realmente ele nos permite lembrar a infância...
    Ótima resenha!

    Abraços, Isabela.

    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  4. A paz do Senhor, Pâm! Nossa, tenho muita vontade de ler esse livro e de ver o filme também me pareceu ser uma história bem rica. Onde comprou o livro? Ainda não vi ele em uma livraria, nem nos livros antigos.
    Beijocas! Fique com Deus! Que Deus te abençoe <3
    http://hey-mygod.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acho que sou uma das poucas pessoas que ainda não leu esse livro. Até me interessei, mas no momento a minha lista está enorme.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não sei se eu li, acho que minha mãe me contou a história, em fim, tenho maior vontade de ler, todo mundo diz maravilhas do livro e vc não foi diferente :)
    Beijokas, Brubs
    Livros de Cabeceira
    @IWannaRuffles

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é o livro infantil que eu mais amo! É realmente tocante e inocente! Sou louca por eleeee!!! Muito lindo! *-*

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha.
    Gostei da capa do livro e das citações. Eu já tinha ouvido muito falar nesse livro, nem sequer uma resenha tinha lido antes

    M&N | Desbrava(dores) de Livros

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha, tenho uma amiga que vive falando que esse livro é muito bom, mas nunca vi por perto pra comprar, vou depois ir em Brasília pra ver se eu acho.
    tem filme né?!
    beijos

    ResponderExcluir
  10. Já ouvi falar muito bem desse livro. Tenho que ler, né?
    bjos

    ResponderExcluir
  11. Olá, li esse livro ainda no ensino médio. É lindo!

    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Loma, q linda homenagem ao José Mauro, sou fã.Já li Arara vermelha, Coração de Vidro e claro O meu pé de Laranja Lima ( li 2 x e até fiz um trabalho de português sobre o livo na 3ª série). Q bom recordar ...Secção nostalgia kkkkk!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Bonita história. <3

    Marina Alessandra do blog Maior de Idade
    @mariinaale
    @maioordeidade

    ResponderExcluir
  14. Oi Paloma tudo bom?
    Eu tenho esse livro e com certeza vou fazer resenha no meu blog também, assim que eu assistir o filme, que provavelmente vou ver no fds

    ResponderExcluir
  15. O filme parece ser bom e eu estou doida p assisti.
    Bjos.
    http://as-coisas-mais-doces.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Gostei da resenha Paloma. Só ouço ótimos comentários a respeito de O Meu Pé de Laranja Lima e quero muito ler este livro. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  17. Esse livro é lindo mesmo, meu coração sentia dor quando Zezé dizia que ele era ruim mesmo e devia parar de existir, ele tem 5 anos é muita maldade que fazem pra uma criança né, mas a estoria é linda, eu odeio o Mangaratiba, fiquei em choque nessa parte, ah estou louca pra ver o filme

    bjos

    ResponderExcluir
  18. Oie,
    menina só eu não li esse livro?
    Ele deve ser mto bonito, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  19. Sou louca pra ler esse livro. Há tempos uma amiga minha me falou sobre ele... Claro que já conhecia d e nome, mas não fazia idéia da história. As palavras dela foram bem parecidas com as suas.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  20. Que capa fofinha *-* adorei a dica, parece ser um livor lindo.. beijos

    ResponderExcluir
  21. Aiii, eu quero muito ler esse livro, Paloma!
    Deve ser um prato cheio de emoções diversas! ♥

    Beijo, moça.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  22. Já li esse livro, muito lindo, a história é fantástica! *-*

    Bjs
    de-livro-em-livro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Mesmo parecendo bom, é um livro que começo sempre e nunca termino rs

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  24. Eu só vi a novela,o remake,minha mãe falava que a primeira foi muito melhor.Fiquei curiosa para conhecer o livro.

    ResponderExcluir
  25. Achei interessante a história desse livro. Nos faz refletir sobre a infância, bate uma certa saudade até.

    Bela resenha! Beijos!!!

    ResponderExcluir
  26. Palomitcha...Crescer é tão bom e tão ruim... Ter liberdade e responsabilidade tem lá seus preços. Eu conheço a história do Zezé, pelo menos flashs através da adaptação que a BAND fez, eu era muito pequena. Mas te digo que esse livro está fazendo a cabeça de uns adolescentes daqui da região onde trabalho, pois a professora deles solicitou a leitura do mesmo..
    Beijo, feliz setembro!

    Bye da Pah
    Livros Estrelas

    ResponderExcluir
  27. Esse livro marcou minha infância. Eu me lembro muito bem que havia duas capas: essa azul que você colocou aqui e a outra era a mesma capa, mas em cor vermelha. E já naquela época eu era capaz de me emocionar "como gente grande". Um livro maravilhoso.

    Rita Flôres

    http://paragostardeler1.blogspot.com.br/
    http://paragostardelerbrasil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.